Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O meu maior (e mais digno) projeto!

por parasergrandeseinteiro, em 13.09.13

(foto de João P. A. L. C. Gomes)

Há uns tempos achei que a forma de viver a ansiada felicidade era, mal comparado, percorrer mentalmente a check list e, pelo menos, uma boa percentagem de pontos chaves confirmarem-se realizados.

Agora não sei o que acho, mas estou longe dessa ideia.

 

Há muitas formas de me sentir feliz, algumas ainda não as descobri. Olha que bom!

Mesmo a tristeza que nos invade inevitavelmente nas mais diversas fases da vida, e pelas mais variadas razões (muitas vezes por fatalidades) merece poder ter varias perspetivas. É aí que entra o nosso “trabalho”!

É tão mais importante sentir o momento e o estado de espírito presente, do que me reger por conclusões finais. Passar com inconsciência pelo presente para depois avaliar o passado?  Não será preciso chegar ao final de um dia para perceber que foi um dia feliz. 

O tal “balanço final” prende-me, subtilmente, a preconceitos e a avaliações muito restritas e básicas. E já nada mudará…

Olhar atentamente ao que nos rodeia, sentir o presente e deixar o passado para trás ou o possível futuro vir como “ele” quiser… tão difícil, mas tão grandioso de se conseguir!

Ando-me a sentir feliz, abençoada por uma paz de espírito, tranquila e com vontade de ser sempre melhor. É a melhor forma de agradecermos o BOM que temos. Tudo é uma questão de perspetiva e aqui dentro há tanto que merece a minha melhor dedicação!

E as coisas mais bonitas acontecem…  e sempre acontecerão!

 

Zee Avi – Monte: http://www.youtube.com/watch?v=TXIeXKu69KE 

publicado às 07:40

Isto é assim e já não muda!

por parasergrandeseinteiro, em 05.09.13

Utilizo muito esta frase para descrever a minha relação com alguns amigos. é sem duvida das maiores riquezas que tenho.

Relações de amizade bem construídas, robustas, resistentes a distancia ou à menor frequência de convivência. Nada se questiona… é obvio. Só se sente!

Hoje acordei com uma boa notícia. Uma amiga muito especial para mim, viu reconhecida a sua destemida crença na mudança. Foi atrás de um sonho.

Esta é uma admiração que vem de longe, ainda dos tempos em que éramos apenas meninas perdidas e vitimas da nossa extrema emotividade perante a vida. Partilhamos, ou às vezes "trabalhamo-nos" mutuamente e posso dizer que temos um optimismo, uma forma de encarar a vida e um sentido de humor (que adoro) muito característicos! As dúvidas, as conquistas, o espírito de partilha e a espontaneidade são o melhor que existe entre nos e fazem a nossa amizade tão cheia da boa energia tem.

Hoje li a sua mensagem com a naturalidade de quem já esperava uma evolução destas, a notícia do seu grande salto de fé. Sorri, senti-me feliz como se tivesse sido comigo, e renovei a certeza inabalável que tenho nesta filosofia de vida: todos podemos ser capazes de correr atrás dos nossos sonhos e de os realizar. Basta ter alguma coragem e acreditar em nos. Dói sempre mas pode-se chegar lá.

Confiança, resiliência,determinação, brio, paixão e amor que se depositam no dia-a-dia têm este poder.

E desta conjugação perfeita só podem nascer coisas boas, projectos felizes. como este, da minha querida homónima.

Obrigada! Adoro ser tua amiga!

publicado às 08:50

Gestões

por parasergrandeseinteiro, em 23.08.13

Os cheiros, as musicas, eventualmente os sabores, podem ter um efeito invasivo (significativo).

Têm o poder de ir buscar lembranças/ sensações / estados de espírito que aparentemente estavam esquecidos. Às vezes não são necessariamente confortáveis. Levantam o pó em divisões abandonadas da nossa mente… como se tivéssemos, em tempo, fechado uma porta à chave e ignorássemos a sua existência. Na altura, provavelmente, foi melhor assim.

 

Sempre que tenho essa sensação procuro “mexer” e encarar o desconforto de frente, é a melhor forma de o resolver. Não é agradável, mas dá resultado. Se não for imediato, terá o seu tempo… Até porque se nos predispusermos a isso, é porque estamos motivados para encarar a situação.

 

Ando em preparação psicológica, sem pressão, para escrever um livro.

Há muito que o imagino, sei sobre o que quero escrever. Mas para chegar onde quero vou ter que revirar “aqui a estrutura” e isso não e fácil. Requer alguma coragem.

publicado às 09:45

Vizinhos (parte XXXX...)

por parasergrandeseinteiro, em 21.07.13

Tenho um vizinho, em cima de mim (salvo seja, ou nem por isso), com o qual troquei uma ideia para fazer menos barulho a partir da meia-noite (não aspirar a casa por ex), e se pudesse ser… antes das 8 da manha não andar de saltos altos em casa, ou seja lá o que for que acontece.

Da sua 1a reação nada a apontar, foi educado e desculpou-se.  No dia seguinte deixou-me uma carta na porta, com alguma graça a dizer, entre outras coisas, que tinha comprado uns protetores para as cadeiras (para não fazer tanto barulho)… Olha que maravilha!

Cruzamo-nos umas quantas vezes, falámos, perguntou-me do exame… até aqui “boa vizinhança é o que se quer!” em todo lado. Trocámos os telefones, disse-me que tinha acesso ao terraço e que poderíamos beber um copo de vinho.

Eu não sou muito complicada com estas coisas porque os bons momentos proporcionam-se, dar oportunidade para conhecer novas pessoas é sempre positivo, e porque não ganhar terreno para fazer uma churrascada lá em cima … ;)

Passaram-se dias, mandou-me algumas (muitas) mensagens com convites e começou a ser muito invasivo.

Ora bem, se uma pessoa não aceita a primeira, ok! podemos tentar uma Segunda, a Terceira já merece “punhos de renda”… a Quarta… (não deve existir)  tentei dar uma oportunidade nem que fosse para Então! nos entendermos e a coisa ficar clara, e se possível saudável. - Não quero “joguinhos de charme” contigo! mas bora lá ser amigo.

Então, o plano começou por ser um passeio pequeno (tipo um hiking muito soft), para um segundo plano: nadar + comer um gelado + fazer uma caminhada… bem!!! respondi-lhe que não tinha tempo para tantos planos e que só estava despachada depois das 4 e que levava uma amiga comigo… PUMMMMMMM! Explodiu.

Mandou-me uma mensagem com acusações surreais (se calhar não eram para mim :), estalou-lhe o verniz!

Acabei por lhe responder, para futuros cruzamentos nas escadas, a dizer que “à parte das acusações sem sentido, o tempo de cada um nunca deve ser desrespeitado e que essa não foi a minha intenção. De qualquer forma, muito bem… ficamos entendidos! Por mim esta mais que resolvido.

A parte que mais me custa é que já não e a primeira vez que isto acontece por aqui… não se pode ir aqui e ali sem se estar a flirtar? Ainda dizem que as mulheres portuguesas são fechadas…?

Tem que se ter cuidado porque ficam magoados!! Ora bolas, não tenho “saco” para meninos mal criados!

publicado às 13:07

Porque sim

por parasergrandeseinteiro, em 19.07.13

Dou por mim, como tantos outros mais, a tentar perceber e a “escavar”, às vezes com muita forca, no porquê?. Faço “malabarismos” de lógica incríveis. A minha cabeça parece o kamassutra das explicações possíveis.

Aquela “campanha” ao Porque não ou Porque sim não são resposta, já foi menos valida para mim.

 

Ora bem… fazer planos, ter motivações e porque não ambições? faz parte e tem a sua inquestionável importância, mas inteligentemente vou entendendo que não poderão ser essas metas que talham a minha felicidade…

Há uma “mão cheia de coisas” que para mim fazem sentido, que desejo, mas não acontecem… e agora? Para quê tentar confortar-me com explicações, muitas vezes frustrantes, que depois de algum esforço mental para não me sentir "tão mal" com as minhas “não conquistas”, fragilidades e/ou necessidades, sinto simplesmente a menosprezar-me.

Não há um “-porque…” direto!

 

Sentir as coisas como são…Molhar os pés na chuva quente, andar no meio de multidões que não nos vêem, conhecer um tudo e ao mesmo tempo um nada, ter a certeza que cada um dá apenas o que quer ou o que pode/ sabe, sentir a vida sem porquês, nem teorias... e se for necessário espreitar o temido “buraco”.

Racionalizar e lamentar muitas vezes são uma perda de tempo. Ter a capacidade de tranquilamente não esperar pelo amanha e não questionar o agora. O presente vira passado, e o futuro presente por si só.

 

Eu acredito que a verdadeira felicidade é partilhada, seja em que circunstancias for, de outra forma não me faz o mesmo sentido… (E maravilhoso estar perante uma paisagem linda. Sozinho é bom, mas melhor ainda é senti-la com alguém).

 

Porquê? Porque sim. E não vou pensar “nisso”!

publicado às 02:45

Tenho andado desaparecida…

por parasergrandeseinteiro, em 15.07.13

 

Eu não alimento o meu blog como uma obrigação, nem o farei sob pena de perder o prazer que tenho em fazê-lo. Escrevo para mim e tenho muito gosto em partilhar com quem gosto e tem gosto em me seguir.

 

Andei em “festa cigana” desde o final do meu martírio. Deu direito a dormir pouco, trocar horários e fazer alguns "saudáveis(????)" abusos.

 

Mas sabe tão bem acordar e sentir que o meu tempo livre, é mesmo livre…. Poderei fazer o que quiser! (mesmo com dor de cabeça LOL)

 

Por ora, tenho mil interesses e curiosidades para satisfazer. Sinto que cheguei a Hong Kong há 5 dias atrás.

 

Um beijo e um grande abraço a todos vocês que se fazem sentir ao meu lado todo este tempo!!!!

publicado às 02:29

Agora é que foi!

por parasergrandeseinteiro, em 10.07.13

E assim chegou ao fim uma luta de 770 dias, onde cresci muito e tentei ser uma pessoa melhor e mais eficiente. Mudei de funções profissionais, terminei uma relação, fui submetida a uma operação major ao coração, mudei de país, continente, de funções profissionais (de novo), de empresa... e espero ter terminado este magnifico e, simultaneamente, doloroso curso.

Desde que cheguei a HK: 

Teleconferências com colegas de York sujeitos a uma diferença horária anedótica, livros e livros, artigos e ainda mais não sei o que. 

A preocupação de cumprir prazos, atacar várias frentes e perceber o que era realmente necessário para os "pratos nao caírem".

Gerir as pressões do novo trabalho, novos e desconhecidos desafios, cultura diferente e terminar esta etapa final.

Dizer "não" a quase tudo o que me poderia ajudar a equilibrar nesta fase de adaptação.

Não foi fácil e por enquanto "não quero brincar mais" a isto.

 

 

 

Uma semana de exame, onde a gestão de tempo e de stress foi crucial.

Tive muita sorte, porque com o apoio da família, amigos de sempre e pessoas maravilhosas que conheci cá (não me esquecerei da sua preocupaçãoe carinho) foi mais fácil.

E caramba!!! tinha mais era que "mergulhar" e dar o meu melhor.

Venha o resultado... a recompensa já a tenho: consciência tranquila por ter feito o melhor que sei!

 

 

Não preciso dos "louros" ou orgulhos. Quero apenas nunca me esquecer que mesmo na adversidade manter a cabeça e o espírito saudáveis, faz-nos ter força... A vida não é fácil e por isso mesmo temos que aprender a viver da melhor forma. Se possível, FELIZES!!!

publicado às 07:54

Final Countdown final...

por parasergrandeseinteiro, em 04.07.13

Ate dia 10 de Julho dedicarei toda a minha energia para fechar um ciclo e uma etapa muito importante na minha vida!

Beijos e até lá!

publicado às 00:56

E lá se vai andando, com a cabeça entre as orelhas!

por parasergrandeseinteiro, em 24.06.13

Arrumar a tristeza. Desfazer a incerteza e transforma-la nas minhas certezas.

Admitir que pior que perder é não viver, amar ou até mesmo sofrer.

Ignorar os pensamentos “apertados”, desconfortáveis, que me alteram a frequência respiratória em qualquer altura e qualquer lugar, que me contorcem a alma ao adormecer. Frear as tentativas romantizadas da minha mente contornar as dúvidas, irreais, que me transportam para um campo de guerra comigo mesma.

Só deixar andar, não dar Essa importância. Tomar conta e educar-me!

Acho que a isto se chama crescer e aceitar a vida como ela é. E com isso saber viver feliz e em paz.

 

publicado às 03:04

Final Countdown

por parasergrandeseinteiro, em 20.06.13

...é oficial!

A partir do dia de hoje, a minha vidar vai-se resumir a pouco mais do que trabalhar, estudar e descansar!

13 dias até ao muito respeitado exame!

"Bora la equipa!"

publicado às 07:55

Hoje deu-me para isto

por parasergrandeseinteiro, em 18.06.13

Há prazeres, experiências ou sensações que nunca tive e que gostaria de ter. E outros que tenho às vezes e os sinto como uma verdadeira bênção. Uma vida não deve chegar para tudo o que me ocorre diariamente!

Mas é importante ter esta noção, há sempre coisas maravilhosas e que nos podem fazer sentir bem, completos e cheios!

Pintar um quadro, contar ‘boas’ historias, tanto livro bom para ler, filmes que entram de rompante na nossa vida e mudam qualquer coisa subtilmente, compor uma canção, tocar violino prodigiosamente para uma sala cheia de apreciadores e na sintonia dos disciplinados e fortes aplausos ouvir um “BRAVO”, ser DJ e naquela boa disposição que só o álcool dá (pelo menos que eu conheça) ver um manancial de gente a CURTIR a brava, dançar tango ardentemente com aquela pessoa, retribuir um sorriso cá de dentro gratuitamente, conversar com pessoas Admiráveis (eu aqui tenho uma lista mental interminável, alguns já não estão entre nos… Eugénio de Andrade, Eunice Munhoz, Júlio Machado Vaz, Simone de Oliveira, António Lobo Antunes, António Variações, Sócrates (o filosofo), Nietzsche, Salvador Dali...)… Ui, não acaba e entra um pouco pelo surreal a dentro! Mas penso nisso.

Para estarmos recetivos a estas boas sensações temos que estar disponíveis para as abraçar, ter tempo para as concretizar, força de vontade para as atingir… e tudo isto não e fácil. A nossa mente é sinuosa e só nos deixa ‘ver’ e ‘atingir’ aquilo que “quer” e temos que ser Maiores para lhe darmos a volta!

 

Bem, vou estudar...

publicado às 13:21

Trabalhar, viver e aprender!

por parasergrandeseinteiro, em 14.06.13

De forma a tornar a minha adaptação mais eficiente pedi para participar nas reuniões especificas de cada unidade, nem que fosse como observadora, para conseguir perceber o melhor e mais rapidamente possível a dinâmica de cada área de negocio e da industria f. em geral em HK.

Acataram com compreensão a minha proposta e convidaram-me para algumas reuniões.

Logo no inicio da primeira reunião, explicaram a razão da minha presença e perguntaram-me:

- Vamos prosseguir com a reunião em cantonês (ou cantonense), importas-te?

ao que respondi:

- Claro que não!!! Estejam a vontade!

Tenho que aprender a falar esta CENA o mais rápido possível... E vou conseguir! 

Nem tudo foi em vao porque os slides eram em ingles.

 

Convidaram-me gentilmente para almoçar e aceitei com agrado. Fomos comer Dim Sum, uma espécie de "tapas" chinesas deliciosas, muito típico por aqui. Dispensei apenas a iguaria de estômago de vaca.

Mostram-me a cozinha e explicaram-me que cozinham em bambu para aromatizar a comida! Adorei conhecer e fiquei feliz com a simpatia.

 

No final da refeição, em vez de bebermos café, distribuíram palitos por toda a gente e higienizaram a cavidade bucal em conjunto na mesa. Eles numa amena conversa, e eu ao som dos tons do cantonense guardei o meu palito na mala.

Nota: Não são uns palitos quaisquer:

Duas extremidades diferentes: Uma em forma escovilhão e outra em forma de pá!

Fiquei fascinada com o ritual! Afinal nada esta certo ou errado, são hábitos.

Eles acham grosseiro não dividirmos a comida, e alarvemente cada um comer o sua refeição, sem partilhar????

publicado às 05:01

Porque silêncio, quando se pode ter BATUCADA!?

por parasergrandeseinteiro, em 12.06.13

Tenho cá para mim que potencio este tipo de situações! Não me lembro de uma casa onde tenha vivido, e já encho uma mão, que não tenha desenvolvido uma relação intensa com os meus vizinhos! Acredito que todos se lembram de mim, sou uma vizinha terrível! 

Primeiro começamos com 'mão na cintura' e às vezes ficamos amigos à posteriori. (Já tenho boas historias para contar a este respeito).

"Intensa" porque normalmente começa por haver obras! Eu atraio obras... Martelos pneumáticos, berbequins, martelada da pesada e afins.

Estas situações tendem a ser mais 'agudas' nas alturas que tenho de estudar.

Hoje, um feriadinho mesmo a calhar, para dar um avanço no meu estudo passei-o assim:

 

Já conheço grande parte da chinesada que anda a partir as paredes e a martelada nos meus ouvidos... não falam inglês mas já lhes "rosnei" e eles perceberam que não aprecio o "chimfrim" às 6h da manha, nem a partir das 19h... só para salvaguardar a minha sanidade mental.

Hoje o senhorio, da casa em causa, veio tocar-me a campainha. Falamos um pouco, ele percebeu que vou ter um exame de uma semana em Julho e tenho que estudar e estar em casa. As obras "só" vão durar mais 15 dias... Ainda me mostrou a casa e deu-me o contato!

Não sei o que vos diga! não e fácil, mas isso já todos sabemos. Escusava era de ser tão difícil!

 

Mas vai-se levando :)

 

publicado às 12:55

Um fim de tarde no mínino emocionante!

por parasergrandeseinteiro, em 02.06.13

Pelas cinco da tarde do dia de ontem, FINALMENTE veio cá o técnico da Eletrolux para fazer o diagnóstico da minha placa de indução que deu o berro exatamente há uma semana atrás.

Surpreendentemente apareceu um Chino todo compostinho, bonito posso dizer... Raro por aqui... e concluiu que não tinha arranjo. (uma gaita que terá de ser resolvida, por agora continuo sem cozinhar!).

Aproveitei e pedi-lhe para me abrir os garrafões de água (seis unidades encostadas à box porque não os conseguia abrir). Ofereci-lhe um copinho de água e nem um sorrizinho!

 

Pus-me a caminho do centro cultural de Kowloon para ir ver um espectáculo Les Tambour du bronx (um espectáculo idêntico aos STOMP).

Numa combinação via internet, uma rapariga filipina, a Devi, comprou-me o bilhete e combinámos encontrarmo-nos a porta do Centro. (Não a conhecia, nem nunca tinha visto).

Fui de metro, pus-me a caminho a "penantes" auxiliada pelo Google Maps... e esbarrei-me com uma rua cortada!

 E eis que tínhamos o seguinte cenário:

Um senhor sob protesto a ameaçar suicidar-se. Polícia, bombeiros, almofada insuflável (que veio estragar os planos do protestante!).

As pessoas que vinham do meu lado, chegavam à fita, paravam, tiravam fotos e suspiravam algo do género: Gaita, outra vez um maluco a ameaçar suicidar-se!

 

Dei a volta "ao quarteirão" e lá contornei o problema, e estava outra vez no meu caminho. Andei, andei, andei, voltei para trás, para frente... esta terra é a loucura! Tanta luz a piscar, tanto edifício, tanta coisa grande... parece que nada sobressai O centro cultural não poderia ser uma coisa pequena... Desisti, apanhei um táxi.

Quando cheguei lá, a Filipina já estava lá dentro da sala do espetáculo com o telemóvel desligado! (Pimba, vai buscar!).

Fui com tempo, mas no meio desta loucura toda... cheguei em cima da hora e o risco de ter perdido o espetáculo era real!

Já quase a desistir... lembrei-me: vou perguntar aos senhores se alguém deixou um bilhete com o meu nome. (não tinha muita esperança, porque caso a Devi tivesse pensado nisso teria enviado uma mensagem). Das 5 portas que havia, na terceira estava o meu BILHETE!!!!

 

Adorei, deu para descontrair... e esqueci toda esta confusão:

No fim do espetáculo, esta gente é toda louca e invadiu o palco:

 

E assim foi, mais uma aventura na minha passagem por HK.

publicado às 14:50

NOT#6

por parasergrandeseinteiro, em 30.05.13

Esta gente é do melhor!

Tenho que partilhar este anúncio a uma sopa, segundo eles, maravilhosa!

(confesso que ando meia enjoada!! Too much!)

 

"Sopa da avó: quente, reconfortante e agradável, com ou sem dentes. Venha aconchegar as gengivas com o Grou+pon:
Sopa de pulmão de porco e amêndoa.
A sopa de pulmão de porco e amêndoa é conhecida por fortalecer o sistema respiratório humano, sendo especialmente popular durante a época da gripe."

  

   

 

Devo confessar que ontem num almoço tipicamente chinês (Dim sum) da empresa, quando dei conta estava a comer patas de galinha frita! (Blahhh)

 

Mente aberta!!!! é o que se precisa!

publicado às 04:48

Caramba, se dói…!

por parasergrandeseinteiro, em 29.05.13

Acho que é da natureza do ser humano ter tendência (e algum cobarde prazer e autocomiseração) em “lamber feridas”.

Há algum mal nisto?

Para mim não, de qualquer forma sei que não posso eternizar esta fase e vou-me perdoando mas ciente de que a coisa tem que evoluir.

Choro quando me apetece e ainda são bastantes vezes, embora haja alturas desadequadas mas não tenha dado para controlar…

 

Sinto muitas saudades todos os dias. Não de uma realidade que tenha realmente existido ou de um passado, mas em algo que acreditei e no que senti. Parecia-me tão bonito! Sinto falta da felicidade em que me embebi, naquilo que acreditei, de partilhar, de amar e tantas mais coisas... como partilhar uma manta no sofá a ver um filme. Ainda sonho e acordo no passado. Gostava de não ter a opinião que tenho hoje. Mas é assim… E estas são as regras hoje. Tenho que as aceitar!

 

Hoje é assim, amanha será melhor, depois melhor ainda. Pode vir (e virá) um dia mais cinzento de novo… mas os dias nunca são iguais. E vai haver um dia em que já não dói.

 

Ontem tive a minha primeira apresentação para os 20 pessoas na empresa. Foi uma ETAPA, foi a primeira vez, em inglês, percebi que correu bem mas há muito a melhorar, em termos de fluência de inglês, de cultura e conhecimento do negocio. No fim do dia a minha chefe chamou-me, elogiou-me e fez-me criticas construtivas (que largamente apreciei) e voltou a tocar no assunto do meu marido em Macau e como deve ser difícil para mim estar cá sozinha durante a semana… (Pensei, é agora!)

De um jeito (inicialmente) adequado expliquei-lhe que eu e o meu marido não estávamos juntos, que realmente o “driver” e/ou a minha motivação para a minha mudança foi vir acompanha-lo, mas que a situação já não era essa e que achava correto pô-la a par (ate porque dispenso os comentários constantes de que vim acompanhar o meu marido). Perfeito, ponto final na historia. Tudo estaria bem se não me tivesse desmanchado a chorar, e a repetir constantemente que estava bem… A cara da senhora era de perplexidade. E só me conseguiu dizer que ficava extremamente preocupada de eu estar aqui sozinha numa cidade tão grande, com um emprego novo e numa cultura tão diferente. (Tinha uma legenda na testa a dizer: Ai meu Deus, o que fizeste a tua vida?)

 

Bem!, confesso que os argumentos para a sua preocupação para mim não são assustadores nem um obstáculo, fiquei realmente preocupada com a minha emotividade a frente da minha chefe de 3 semanas, chinesa… Há realmente diferenças culturais entre nos!

 

Agora tenho mais uma prova de fogo, mostrar-lhe que apesar de estar frágil, aguento o tranco! Sou emotiva, europeia, latina e um pouco louca! Mas quero trabalhar, e bem!

 

Espetacular!!! Chorar em frente a um chefe chines… Ai, ATCG só tu!

 

Mas é assim, choro e chorarei enquanto for essa a necessidade, e porque é bom deitar cá para fora… mas pode ser longe do contexto profissional!

 

Diz-se e muito bem: "quem não se sente, não é filho de boa gente" e os meus pais são maravilhosos, ai esta o porque desta lamuria toda! LOL

 

Medidas para melhorar o meu inglês BRITISH, oiço aulas de inglês no caminho de casa-trabalho-casa. Escrevo tudo o que tenho que fazer em inglês e traduzo os meus pensamentos e quando não sei vou procurar a  . Radio, Tv e afins... Just in English! Vamos la ver se isto não vai ficar Perfect! 

 

Partilho uma musica maravilhosa, sugerida por uma pessoa maravilhosa para mim (obrigada querida MA):

http://www.youtube.com/watch?v=wwANr0kbQnw

 

"Saudade, vá entra a vontade
porque já esperava que fosses voltar
com esses teus olhos tão verdes
falando de pressa para me atentar

(...)e dá-me notícias que trazes de alguém
passado porque tudo passa
e até tu saudade vais passar também

Não há dois dias nunca iguais
eu quero viver cada dia como nunca mais
(...)


É bem possível que amanhã
ainda me peças para voltar atrás
mas ouve o que passou, passou
nada se repete para mim tanto faz

(...)

É bem possível que outro amor
cresçam em mim em flor da cor do jardim
o improvável acontece
e até tu saudade vai chegar ao fim

(...)" 

publicado às 04:24

A necessidade faz o engenho!

por parasergrandeseinteiro, em 27.05.13

Tenho uma certa preocupação com o que como.

Como sempre sopa, evito manteiga, opto por gorduras saturadas, comida pouco processada, muita fruta, muita água...

Comportamento que não me impede de fazer disparates completamente inarráveis. Estou-me a lembrar da relação psiquiátrica que tenho com o chocolate, as asneiras que faço quando quebro as regras... Por vezes há um certo "descontrolo" e 'a coisa da para o torto'. Chego a ficar de consciência pesada e triste com tamanha gula!

 

Agora sem fogão, ou placa neste caso, fiquei seriamente irritada por não ter sopa feita.

Grande solução:

 

Smoothie (manga, fruta do dragão/ pitaia, ervilhas congeladas e leite de aveia):

  

Maravilhoso. As ervilhas congeladas dão uma textura de granizado.

 

Hoje vou experimentar: Banana, espinafres, manga, papaia e chá verde.

 

Fruta e vegetais, tudo cru + varinha mágica.

Hum :)

publicado às 09:41

Já há algum tempo que não se estragava nada...

por parasergrandeseinteiro, em 27.05.13

Adoro a minha casa, adoro o sítio, adoro estar em casa, acho que acertei mesmo na mosca.

Tudo encantador.

A parte dos electrodomésticos é que não tem sido uma relação fácil. Mas lá chegaremos.

 

Agora a minha placa de indução… deu o berro!

 

A Electrolux não me manda assistência a casa sem eu dar o número do modelo, o meu senhorio diz que não faz ideia! Numa placa encastrada na pedra, as únicas 2 palavras  são: INDUCTION e Electrolux. Não há manual.

 

Está bonito…!

Vou ali a Electrolux a hora de almoço a ver se a gente se entende! Gestos, fotografias, mostrem-me os modelos todos que existem no mundo, sei lá...

 

Agora não há sopa ou cozinhados quentes para ninguém. Lado positivo: ando a fazer smoothies, para relevar este bloqueio irreal entre o distribuidor, o senhorio… e lidar com o péssimo inglês do centro de assistência!

Bora lá equipa! Isto tudo terá uma solução :)

publicado às 04:00

Eu gostava de jantar com...

por parasergrandeseinteiro, em 24.05.13

Hoje, o fim de mais um dia… gostava de jantar com o António Variações.

 

Eu nasci e cresci com um encanto de gostar muito de gostar de ‘coisas boas’, de rir, de dizer o que sinto principalmente quando é bom, ou guardar simplesmente para mim e repousar no conforto ameno e com cheiro a canela que isso me dá.

 

Hoje! o fim de mais um dia, em que: …Não gosto, não quero e não vou deixar que alivies o que sentes ou pensas com a tua suposta compaixão e comportamento tão correto mas sempre vazio, não enquanto isso me doer… comportamento para mim muito pouco louvável e a ‘dar um encosto’ no egoísmo.

Cuidado! As vezes não fazemos as coisas pelos outros, mas para não nos sentirmos mal. E a distância, e a higiene de emoções são o caminho a seguir!

 

Liberta-te disso, já não se usa. Não quiseste, não soubeste ou sei lá o que… e ainda não queres. Ou sabes lá tu o que queres. Tão perigoso… Mensagens cheias de nada… guarda-as para ti.

 

O grande António Variações, ‘diz’ algo tão bonito e verdadeiro como:

“Vem que o amor não é o tempo, nem o tempo que o faz.

Vem que amor é o momento em que eu me dou, em que te das

 

Faz todo o sentido. Só quero perto de mim quem queira a aventura dos sentidos, quem tenha a ousadia de se ver, que chore e ria quando assim tiver que ser. que corra atrás do que sente, que saiba o que sente ou o que quer sentir. "Quero ter a minha mão aberta a espera de se fechar, numa mão deserta…"

 

E por favor, não faças mais das tuas limitações os meus defeitos! porque isso dói... ainda!

(partilho uma intrepetação maravilhosa de Tiago Bettencourt da canção do engate de António Varições)

publicado às 11:20

Colo, Coração e Cabeça

por parasergrandeseinteiro, em 18.05.13

Tenho "cirandado" por aí... tenho estado em contato com algumas pessoas diferentes. Mas somos realmente todos iguais.

Gostos gerais, medos, sonhos, angústias, ambições... tão engraçado tentar entender o "mecanismo" de uma alma.

 

...Eu quero fazer o que outros fazem, com a motivação normal de todos nós, mas com colo, coração e cabeça ao redor do que/quem gosto, e crescer da melhor forma que sei e ainda vou aprender!

 

(Há muitas pessoas amarguradas por expetativas frustadas-quem não as tem?, a "lamber as feridas do passado"-quem não as tem?, a viver um presente inconsciente só para não pensar... está bem, há espaço para todos e também há pessoas muito interessantes)

 

Hoje vou jantar com um professor de psicologia de uma universidade de Hong Kong, Canadiano, viveu no Quénia, Xangai e agora Hong Kong. Coneci-o outro dia e será interessante conhecer um "errante" do mundo.

 

Beijos

publicado às 10:05

Um fim de semana de estudo

por parasergrandeseinteiro, em 18.05.13

A minha guerra continua... Já com muitas batalhas superadas, mas Oxalá! ganhe a Guerra.

York, York, York... A minha cruz. A minha preocupação. Só falta um módulo, "tenho" que o superar e terminar esta grande luta!

No meio do meu processo de adaptação à cidade, ao trabalho e de certa forma à cultura... vou tendo condições mentais para me concentrar!

 

Bora lá equipa... Eu "tenho" que conseguir:

 

publicado às 09:40

A pedido da minha querida prima M (a mais velha ;))

por parasergrandeseinteiro, em 13.05.13

A minha prima M está a fazer um trabalho sobre a emigração em Portugal, estabelecendo um paralelismo de motivações entre os anos 50/ 60 e os dias de hoje.

Pediu-me o meu testemunho para utilizar como um anexo.

Tive todo o gosto em contribuir e partilho-o agora aqui:

 

Construir um ‘América’, ou será uma Ásia’?

Cresci a ouvir, que tempos houve no passado, em que muita gente, inclusive o meu querido avô Correia, teve que prescindir da sua família e zona de conforto para se lançar além fronteiras. Era a única forma de gerar um orçamento familiar capaz de fazer vingar os filhos. E assim foi.

O meu avô saiu de Portugal, provavelmente numa carripana com um grupo de gente nas mesmas condições, atravessou grande parte de Espanha a pé, à boleia… será difícil imaginar! E chegou a Paris.

Na altura não havia skypes, facetimes, telemóveis, emails… a carta que demorava semanas a chegar era a única forma de aconchegar um coração ferido pela saudade.

As 3 filhas que teve são hoje mulheres “bem criadas” mas à custa de um pai ausente.

 

Terminei o meu curso, comecei a trabalhar no dia a seguir ao meu estágio… Passei de uma empresa para outra e outra, tirei um mestrado e agora estou a terminar uma pós-graducao numa prestigiada universidade no Reino Unido de onde saem primeiros ministros e presidentes.

Não me posso queixar, ganhei a minha independência na altura que tive necessidade e também possibilidade. Fui crescendo profissionalmente e ganhando responsabilidades, viajei bastante.

Então porque sair do meu pais? Então porque não ter os que mais amo no meu dia a dia…?

 

No dia 26 de Junho de 2013 faz sete anos que terminei o meu curso e que estou a trabalhar. No dia 26 de Junho de 2013 faz sete anos que deixei de receber mesada e passei a ter uma conta com mais de 3 dígitos (pelo menos no dia em que me pagavam) e há sete anos que gosto de me desafiar, que acredito que quando fazemos algo bem terá repercussões… não necessariamente pessoais, mas no resultado de um projeto, na vida de um doente, no futuro de algo…

Sou uma mulher da ciência, acredito na lógica e no raciocínio… e nos últimos anos, infelizmente, deixei de perceber muita coisa no meu país.

Saí do meu pais, porque precisei de sair de um “barco que se está a afundar”. Porque vi muita gente muito próxima de mim a perder o emprego, a não ter possibilidades… ‘Abandonei’ o barco, porque sou adepta da premissa que a mudança não é reativa mas sim proativa. Vim buscar ajuda talvez… e tenciono voltar.

 

Nunca tive nada de ‘mão beijada’. A sorte construo-a todos os dias, e pago um preço alto… as saudades, a solidão, a incerteza do futuro, a dúvida do que está certo ou errado… Mas não olho para trás, vim buscar motivação, vim viver e respirar coisas novas, vim aprender com pessoas diferentes, vim abraçar um projeto profissional melhor, vim ganhar dinheiro… Vim buscar o que o meu pais deixou de me poder dar, a esperança e possibilidade de viver com qualidade.

Nos últimos tempos, leia-se 4 anos, trabalhei bem mais que 8 horas por dia, hipotequei os meus serões e fins de semana, e  não tinha dinheiro para gozar de momentos de lazer… nem para poupar!

Vim por mim, vim pelos Meus e pelos que hão de vir.

 

Avô Correia, todos nos só somos o que somos hoje porque tu és um homem que não olhou para trás e foste buscar a tua sorte. És uma inspiração para mim.

 

Cada um tem o seu fado, o meu será sempre Portugues… mesmo do outro lado do mundo.

publicado às 14:57

Para mim poderão ser todos os dias,

por parasergrandeseinteiro, em 05.05.13

Para mim poderão ser todos os dias, o dia da Mãe! Mas hoje quero dedicá-lo inteiramente e somente a ti.

Obrigada pelo teu amor, pelo teu carinho em todas as alturas, pelos teus beijinhos, pelo teu abraço, pelo teu incondicional apoio… Que sorte…. Eu tenho por te ter como mãe.

Amo-te sempre e para sempre minha Mimi

publicado às 05:05

Cha Cha... ChaNannnnnnn

por parasergrandeseinteiro, em 04.05.13

Não sei porquê, nem como...

 

Mas no meu subconsciente, às vezes passava por ela e tentava abrir... Nunca dava, estava bloqueada.

Mas ontem à noite, num movimento meu irrefletivo ouço... CLICK!

ABRIU!!!!!! Dei saltos e tudo!

ANTES:

DEPOIS:

 

Já desmarquei o arranjo!

 

BEIJOS bem lavadinhos

publicado às 03:04

Dias menos positivos

por parasergrandeseinteiro, em 01.05.13

...

Por estar numa altura x do meu ciclo menstrual, por ter andado Kms e estar de rastos, por ter gasto algum (muito dinheiro) hoje num Iphone e sou forreta, ou ainda porque as vezes tenho mau feitio... a coisa tem estado agridoce!

- De manha cheirou-me a tabaco em casa, abro a porta da rua e deparo-me com um dos senhores que estava a fazer a obra no andar de baixo descontraidamente a fumar... Veio-me aqui uma azia, mando-lhe três vergoadas verbais bem secas e firmes, que deitou o cigarro para o chão (SIM! para o chão do hall) e apagou... Para além de eu estar a gramar com o martelo pneumático e me cheirar a tabaco, achei que explicar que aquilo era um mau procedimento seria um esforço inglório.

- Mudei a minha cama, pus uma máquina de roupa a lavar... quando terminou a porta da máquina náo abria. Pensei... se calhar o programa não terminou como deve ser. Vai mais uma voltinha. Nada!!! Fechada e bem fechada. Carreguei em todos os botões. Fiz uma sessão de Facetime com quem achava que me podia ajudar. Vi vídeos no YouTube para a abrir a porta desta marca especifica. CANECO... Com muito esforço desviei a máquina e recorri a técnica do informático, desligar da ficha voltar a ligar.. Nada! Lavar mais uma vez e nada.... Odeio este MONSTRO de máquina! Desisti. Escrevi um email ao senhorio para me resolver a situação... vamos ver o que isto vai dar!

- Tenho um barulho repetitivo que vem das escadas... há horas... ai ai!

 

Fartei-me destes pequenos fenómenos capazes de influenciar o meu estado de espírito e resolvi a situação em 5 minutos:

PLIM!!!

 

 

A parte boa, amanha começo a trabalhar e estou entusiasmada! ;)

 

Eu sou das piores vizinhas que alguém pode ter... Não dou folga a barulhos e cheiros!

 

Amanha vai ser melhor...

Um beijo cheio de carinho

publicado às 12:45

Ui... Já ca estou

por parasergrandeseinteiro, em 29.04.13

Ontem quando cheguei a casa com a ajuda de um amigo que me carregou 25kg+12kg, 4 andares seguidos com uma humidade ce 95% (impagável), fui ao IKEA comprar lençóis e almofadas e bla blas... Mesmo que a primeira noite tenha sido dormida com goma, é sempre melhor que nada.

A minha casa fica num bairro muito giro. Gostei de a conhecer... senti aquele clique.

 

Depois de muitas voltas finalmente descobri um mercado bem charmosinho para comprar frutas e legumes. Dá para ir a pé e é um pouco mais barato:

 

 

Já fiz uma sopa, com uns legumes que vieram representar espinafres, mas soube-me bem... mesmo que tenha descascado os legumes com uma faca de manteiga.

Hoje ainda...

abri uma conta num banco (uma experiência digna de um post... o Sr. nunca mais me deve querer ver, suguei-lhe o cérebro mas percebi o que queria e não fui na conversa dele para abrir uma conta premium).

Comprei um aspirador, varinha mágica, balde e esfregona e um ferro de engomar...

 

A minha cabeça ainda não esta espetacular, o Jet Lag esta a dar conta de mim... Vou mimir.

Até amanha

 

publicado às 15:19

Dizer adeus, mesmo que seja ”Até já”

por parasergrandeseinteiro, em 27.04.13

São Momentos de lucidez, onde se torna claro o que realmente importa.

 

Não me quero esquecer das tuas lágrimas. Lágrimas são lágrimas, para mim fáceis de mais muitas vezes… Mas de alguma forma, foi bom ver -te chorar. Tu precisavas e talvez eu também precisasse delas, das tuas.

 

Pai, eu amo-te, eu admiro-te. Não pelo óbvio, mas porque há algo mágico entre nós. Às vezes tenso e explosivo, só sei que é assim, não sei explicar… e por ora só quero guardar aqui no peito o homem que és.

És frágil, refilão e doce, pouco tolerante mas bom, cheio de principios, com uma cabeça e força invejavel.

Vais aqui comigo e esteja onde estiveres sera sempre em ti que eu penso quando tiver que me encontrar.

Não me vou esquecer, e não me quero esquecer de te perceber, ter paciência e nunca vou desistir de ti. Amo-te e estou agarrada a ti para sempre.

publicado às 15:43

E la foi o meu mano

por parasergrandeseinteiro, em 21.04.13

Muita Sorte, Saúde e Sucesso!

Tenho muito orgulho em ti!

publicado às 12:20

Ora bem...

por parasergrandeseinteiro, em 20.04.13

Tenho a anunciar que entrei em fase de despedidas (que não gosto). Muitos dos meus possíveis futuros posts... hão de refletir uma certa angustia e tristeza de partir. Mas isto é mesmo assim... e tudo o que aqui é escrito é para e por mim e para ser partilhado com os meus.

 

Hoje por exemplo, verei partir o meu mano.

 

Final countdown para mim... para a semana vou eu!

 

Vamos para a frente, porque para a frente é que é o caminho.

publicado às 10:39

Paira aqui uma nuvem…

por parasergrandeseinteiro, em 18.04.13

Ontem ao olhar para a minha empregada de uma vida, cá de casa dos meus pais, pus-me a pensar: ...porque nunca peguei nela e fui a uma consulta como dever ser, para contolar a diabetes, perceber aquelas dores nas costas e largar os anti-inflamatórios diários… e aquelas sequelas de uma vida que não a tratou muito bem e a tornam tão queixosa e infeliz.

Por comodismo? Porque dá trabalho…? Senti-me egoísta. A vida atribulada que se leva torna-nos egocêntricos, e idealmente eu não gosto de ser assim. E acho que não se deve ser assim.

 

Hoje a seguir ao almoço, liga-me o meu irmão. Comentou comigo uma triste notícia. O acidente que ontem fechou duas faixas da A5 fez uma vitima fatal, colega de escola do meu irmão e irmã de um conhecido meu.

Parece que se instalou algo incómodo e doloroso no meu peito, em pleno trabalho caiam-me lágrimas… Como pode a vida tirar o futuro a uma menina de 27 anos, e torná-lo ao mesmo tempo eternamente infernal para aquela família?

 

Acho que temos obrigação de ser felizes com o ”pouco”, que é muito e que a vida nos oferece de bandeja. Quando se tem a possibilidade de ficar feliz só porque está sol, é porque temos tudo!

publicado às 21:28


Mais sobre mim

foto do autor




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Março 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031