Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




(...)

por parasergrandeseinteiro, em 05.02.11

Estás na noite?

Cheguei a casa.

Posso ir ter contigo?

Podes. Estás onde?

Estou no bairro. Já te ligo. (…) Opá não consigo. Tou dependentre de boleia. Que pena. Bjs

Melhor assim. Eu também não quero uma boleia. Eu gosto de estar contigo, mas que não seja isso que nos separe. Um beijinho * boa noite *

(minutos depois)

Não queres vir cá ter?

Posso ir de pijama? tem risquinhas mas mesmo assim não sei se me deixam entrar * e aqui está mais quentinho.

Isso é um sim ou um não?

(inacreditável...mas aconteceu...)

Há uma coisa fantástica, pode ser preto e verde ou amarelo caca e leva as pessoas onde desejam. Mas já estou a ser mais maezinha do que devia... É um não, vou aí. Estive aí há umas horas.

A sério? Devias ter avisado... Ok beijinhos

 (...) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:46

A minha massa

por parasergrandeseinteiro, em 03.02.11

Mais uma vez, eu de um lado e tu do outro, o mesmo vinho, a mesma conversa… a mesma sensação. Um misto de ternura, orgulho, carinho… cortados pelo medo de que Aquela seja mesmo, e definitivamente, a última vez…

Às vezes a nossa relação, independentemente das fases pelas quais passou, parece-me no sentido figurado: tu a fazeres força para fechar a porta, e eu a contrariar com os dentes bem cerrados para a abrir.

Procuro o centro perfeito na minha postura capaz de produzir a energia máxima, para que pelo menos a porta, a tua porta, não se feche… porque abri-la, eu já aceitei que nunca a abrirei.

Às vezes entalas-me, isso magoa-me mas jamais ponho em causa a continuidade do meu esforço… E continuo, estimulada pelo medo de me distrair e de dar conta que a tua porta se fechou… e de não a conseguir abrir mais.

Trocamos promessas de amor eterno, passivo mas eterno… Sei que me vais amar sempre, como tantas vezes repetes, nem que seja a recordação…

Mas ontem senti que desististe, de alguma forma a tua tranquilidade deixou perceber que aceitas a situação.

Em mim, mais uma vez, desperta o medo, um formigueiro … a Massa que sobe e desce anda aqui dentro, não sei exactamente onde… no ventre? tórax? coração? 

Talvez seja mais gastro. Faz-me sentir inquieta, dá-me uma adrenalina suave mas que mói… Não me deixa descansar, faz-me esquecer o que é a tranquilidade, alimenta um nervoso miúdo…. Alivía quando as lágrimas caiem, e me entrego a uma qualquer emoção suficientemente forte….

Não quero perder isto!!! Parece um vício, onde até a dor sabe bem. Onde até o mal me faz bem.

Tenho medo, de tudo, até de mim… do vazio que aqui deixas sem saber, e que me faz procurar tudo ou nada, em todo lado e até no meu próprio vazio…

Porquê? ... que quando olho para os teus olhos, sinto Tudo. Porquê?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:55


Mais sobre mim

foto do autor




Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Fevereiro 2011

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728

subscrever feeds