Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

por parasergrandeseinteiro, em 13.09.14

 

 

Dou-me conta de como o tempo passou desde que cheguei a Melbourne. Não interessam os meses que são na realidade mas sim o que os preencheu.
Muitas etapas se ultrapassaram. Problemas que ganharam a importância a que tinham direito ‘naquele’ momento e se resolveram ou passaram simplesmente a fazer parte.
Dou-me também conta de como a vida é cheia de conquistas (e perdas), vivências, aprendizagens de mil naturezas... e o que interessa no fundo?

Estou num país muito longe de onde originalmente sou, estou com os pés voltados para Portugal, longe de tudo o que aprendi a ser-me familiar, sem o dia-a-dia com a minha família e amigos, privada das comidas que me fizeram crescer e que são a minha referencia, com uma barreira linguística ainda muito significativa. Podemos falar tudo numa língua mas as piadas e trocadilhos ficam muito aquém do que poderiam ser na nossa língua original, e isso dêem-se as voltas que quisermos é uma barreira social. Melhorará sempre, mas ate lá só me resta resiliência e saber relativizar.
Sou uma pessoa caracterizada pela espontaneidade, e custa mais a ser quem sou noutra língua mas... consigo sempre. 
Sei perfeitamente, porque farei por isso e por relatos de amigos em idêntica situação, que só o tempo o resolverá.

Procurar casa, procurar trabalho, perceber os transportes, sistema de saúde, vistos, fazer conhecidos e depois amigos, adaptar-me a ter o Inverno no Verão, conduzir do lado contrario, acordar quando a minha avo vai dormir...
Por outro lado, honra seja feita há natureza maravilhosa que me sorri todos os dias, pássaros coloridos, ar puro, jardins cheios de flores e muito bem cuidados, cangurus que amo de paixão, uma costa maravilhosa, mar a porta de casa, pessoas simpáticas e amáveis, o por do sol mais bonito que ja vi, uma boa vida no geral... A Austrália é um sitio fantástico para se viver.

E o que interessa realmente?

Para mim: ser feliz com o que tenho. O mais possível, e na maioria das vezes consigo.
Os obstáculos existem (sempre) em qualquer lado. Há muitas coisas que pesam, questões (residuais) que não se resolvem e fazem parte de nos. É um processo de balanço.
Mas se tivesse que escolher, voltaria a fazer tudo igual, ciente do "preço" da distancia. Esse instalou-se na minha consciência, não somos “amigos” mas convivemos os dois.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:57

Sydney

por parasergrandeseinteiro, em 01.08.14

 Oprera House

 

 

 

Sydney Bridge

 

 

Adorei esta marginal, com uma baía muito charmosa cheia de restaurantes convidativos para relaxar e saborear uma boa refeição ou apenas um bar para beber um copo de vinho e sentir o sol a esconder-se num degrade de tons quentes que se fundem no escuro da noite, sendo substituídos pela linda iluminação que toma conta deste tão famoso porto da cidade de Sydney.

 

 

Bondi Beach:

 

 

 

Uma das praias mais famosas de Sydney, mais uma vez preenchida por famílias, cães e seus donos, desportistas, turistas... uma imagem tão característica da Austrália. 

 

 

 

 

 

 

Featherdale Wildlife Park:

 

 

Sou apaixonada por cangurus. A visita a este parque natural deu para "tirar um pouco a barriguinha de misérias".

Pobres animais não têm culpa desta minha obsessão! Mas são uma fofura que não se aguenta.

 

 

 Wombat, mais uma fofura!

 

 

Coalas dorminhocos ao nível das 17h de sono por dia. Fiz (MUITAS) festinhas e este pequeno coala que dormia profundamente. Não fosse a tratadora dizer-me para não lhe tocar na cabeça, saía lá desconfiada da veracidade do exemplar.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:31

E porque o Natal é quando o Homem quiser...

por parasergrandeseinteiro, em 09.07.14

Olha foi em Julho!

Frio não falta, dias pequenos e escuros também não... O grupo de Portugueses, mais Brasileiros, Croatas, Macedónios e Israelitas juntou-se e festejamos o Natal e o ano novo.

Bebeu-se bem, comeu-se até rebolar, passou-se a meia noite e no dia seguinte ainda se fez a almoçarada de dia 25 e jogou-se cartas e charadas! 

Foi um bom Natal em Julho, porque é difícil meter na cabeça que Junho e Agosto são por aqui o pico do Inverno!

 

 

 

 

 

 

 

Para o ano há mais!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:52

Do longe se faz perto

por parasergrandeseinteiro, em 30.06.14

Há uns dias um amigo que conhecemos cá fez anos, e tem temporariamente a mulher e a filha em Lisboa, por isso convidámo-lo nesse dia para vir cá a casa jantar e fizemos-lhe uma surpresa.

Cantámos os parabens todos juntos, nós pessoalmente e a família por Skype!

Para mim festejar os anos faz-me muito sentido, não adoro fazer anos mas é o nosso dia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:15

Uma casa Portuguesa

por parasergrandeseinteiro, em 27.06.14

Uma casa Portuguesa, é sempre uma casa Portuguesa e tem sempre dois abraços abertos com certeza!

Este fim-de-semana chegou de Portugal um amigo, que conheci cá em Melbourne. Foi matar saudades da família, amigos e do nosso cantinho à beira mar plantado.

Para o receber:

 

 

Uma feijoada de choco (que por acaso foi de lulas), vinho, pudim de ovos e uma mesa cheia de amigos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:45

Ai Senhooooores!

por parasergrandeseinteiro, em 24.06.14

Não ter uma selecção nacional para torcer, e me enervar MUITO, faria de mim uma pessoa mais tranquila!

 

Olha que caramba!: 5 minutos depois do começo do jogo PUMBAAAAAA um golão - fico eléctrica... passo mal o jogo todo porque empatamos, sofremos mais um e nos últimos segundos PUMBAAAAAA mais um golão... Ai Senhooooores!

Eram 8 da manhã. Tanta adrenalina ao acordar nem é saudável!

 

 

As esperanças são poucas, mas enquanto for possível acredita-se até ao fim.

Não sei fazer a coisa por menos... e esta situação inquieta-me!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 06:46

A vida é aprender a saber perder

por parasergrandeseinteiro, em 24.05.14

No conforto do adquirido existe o desejo profundo de que nada mude. Se houver mudança que seja para ganhar e nunca perder. 

Mudar é, na maioria das vezes, desconfortável e perder é doloroso. 

 

Vivemos em conquista galopante até uma determinada fase da vida (em princípio), tudo é crescente. Os nosso conhecimentos, aprendizagem e conquistas e estamos muito focados em nós. Contudo, e cada um no seu tempo, percebemos que as "aquisições", família, amigos, amantes e nós mesmos, são efémeros e pior... Vulneráveis. 

Não tomamos consciência disso de uma assentada só, mas vamos percebendo.

Saber perder, aceitar a mudança e contornar obstáculos optimisticamente torna-nos sábios. Não será um patamar atingido mas é todo um processo.

 

O medo é inevitável mas de nada serve porque quando perder o que tiver que perder terei que continuar a viver. Estranhamente tudo continua.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:33

O meu dia de aniversario

por parasergrandeseinteiro, em 28.04.14

Sempre festejei os meus anos e gosto de festejar as mais diversas ocasiões. É, para mim uma forma de estar na vida, celebrar momentos é tomar consciência de situações e tem tudo para ser um exercício positivo e saudável. Estar de bem com a vida traz momentos felizes e a forma que tenho de "agradecer" o bom que tenho é viver a vida com alegria. 

 

  

Desde sempre gostei de passar o meu aniversário com uma festa, fazer um grande almoço de família, cantar os parabéns com bolo e velas, convidar amigos mais próximos para o almoço em família e ainda fazer uma festa pela noite dentro com muitos amigos.

Em Portugal eu faço anos num feriado, numa comemoração da liberdade logo eu não poderia ser diferente.

Na Australia, não é o dia da liberdade mas é igualmente um feriado de comemoração que assinala a lembrança das tropas Australianas e da Nova Zelândia que serviram e morreram na guerra, ANZAC DAY.

 

O meu primeito aniversário na Australia foi um dia muito bem passado com o meu J e amigos recentes que partilharam um jantar comigo. A minha família, apesar de longe esteve muito perto e contribuiu para o meu dia se tornasse ainda mais especial e feliz, através de mensagens, emails, telefonemas e uma surpresa muito especial: Reuniram-se, pais + tios + primos +avós, cantaram-me os parabéns, sopraram as velas, beberam champanhe numa sessão de skype... fiquei sem palavras e muito emocionada.

 

 

 

 

O J levou-me a uma chocolateria clássica e repleta de delícias de chocolate (a minha perdição) e não consigo adjectivar o cacau quente que experimentei de tão bom que era, só sei que quero voltar lá.

 

 

Esteve um dia muito bonito, frio mas solarengo e seco, o que nos permitiu acordar cedo e ir passear pela cidade para ver as comemorações do ANZAC DAY.

 

 

 

 

 

 

Fomos almoçar os dois, um bom bife Australiano acompanhado com bom vinho.

 

 

Fiz um jantar para amigos, cantamos os parabéns, soprei as velas e comi (muito) bolo.

 

Foi um dia muito, muito bem passado.

25 de Abril, SEMPRE!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:04

Abrir o correio e...

por parasergrandeseinteiro, em 24.04.14

 

ter uma carta, desenhos e fotografias das minhas prima e priminhas queridas aqueceu o coração!

Obrigada prima X.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:41

Às vezes estão lá!

por parasergrandeseinteiro, em 07.04.14

Ponho-me a pensar, e recordo com a nossa tão portuguesa saudade, pessoas minhas, pessoas que são a minha história ou simplesmente sinto cumplicidade e que me fariam feliz ter aqui por perto. Mas mesmo longe essas pessoas confortam-me por fazerem parte da minha vida.

Há uns tempos ouvi algo muito bonito que registei, - esse “fulano” que me dá o prazer de ser meu amigo -. É bom sentir isso e eu sinto-o.

 

Ser amigo, e estabelecer uma relação de amizade, é algo bastante abrangente. Sou amiga de muita gente e vice-versa. Mas se tivesse que ridiculamente atribuir valores às relações que vou desenvolvendo na minha vida precisaria de uma escala megalómana. Do 0 ao 10…00000 não chegava.

Onde quero chegar é: facilmente se atribui o “titulo” de amigo, mas dentro desta categoria a diversidade de intensidades é significativa. Sinto por (poucos) sentimentos muito fortes, inquebráveis, e a esses considero-os o meu núcleo duro. No outro extremo tenho amigos (muitos) com quem partilho bons momentos, mas a química não é tão forte. E ainda há um estadio mais intermédio, não lhes daria um rim ao contrário dos primeiros mas há para todos os gostos.

...Até porque ser BOM amigo dá trabalho e ninguém é BOM Amigo dos 600 “amigos” do Facebook… 

 

Ouvi uma história bonita, que me marcou… ao ponto de me apetecer escrever sobre ela.

Um grupo de rapazes, que hoje são uns homens nos últimos anos dos 20's e cada um com o seu percurso talhado, tiverem que lidar com esta “cena” da amizade. Se calhar achavam que eram amigos, mas agora acredito que têm a certeza! 

 

Quatro amigos, um por Portugal, outro em Luanda, outro na Alemanha e outro no Dubai… cada um com a sua rotina e uns com mais sucessos que outros… 

Uns homens, que são os mesmos rapazinhos que fizeram viagens de bicicleta, de comboio, entraram na faculdade, partilharam e viveram férias de Verão, sonhos… por aí adiante.

Um deles, que enveredou ou tentou seguir a carreira de piloto, sem cunhas nem “encarregados de educação" com poder económico e de influência para hoje estar onde desejaria, ou simplesmente a exercer… perdeu-se algures no meio do caminho. 

Não sei muitos pormenores mas ouvi sobre a sua infelicidade e actual situação que é difícil. Hipotecou a casa, subjugou-se a pesados empréstimos e está simplesmente apático e aparentemente conformado com o seus insucesso e falhanço. 

Não concretizou e comprometeu os seus numa aposta que não deu em nada… 

Neste momento falta-lhe a motivção e o dinheiro para comprar as horas de voo que precisa para ter algum poder competitivo sobre os pares e assim concorrer a oportunidades fora do país. Porque em Portugal tristemente sabemos que não vai acontecer.

Os outros três nas suas também esforçadas mas melhores sucedidas vidas, inconformados com situação deste último, fizeram-lhe uma proposta: pediram um orçamento de TUDO o que precisaria para se "endireitar", desde a actualização de carteira, horas de voo, viagens e estadia para poder dar o salto final que ficou àquem anteriormente. 

Estamos a falar de uma quantia generosa o suficiente para simplesmente não poder ser… 

 

Cada um tem a sua vida e todos precisam. Mas eles fizeram! Juntaram-se e estenderam a mão. 

 

Não sei se se importa ou não, mas tenho muito orgulho que um deles seja meu irmão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:15

Há sempre um preço!

por parasergrandeseinteiro, em 28.03.14

Desde que saí de Portugal sempre encarei a questão da distância com muita racionalidade.

Não me custou deixar Portugal, é e sempre será o país do meu coração, custou-me sim deixar a minha família e os meus amigos.

 

Estar em Hong Kong ou na Austrália não traz grande acrescento à sensação de distância… se precisar de estar em Portugal numa urgência consigo fazê-lo em 27 horas.

Gosto do rumo que a vida leva, não olho para traz a achar que poderia ter sido diferente. Até sinto bastante orgulho no que tenho vivido, conhecido e assim crescido e aprendido sempre.

Faz-me sentido e estou em paz com isso.

 

Mas há uma conta para “pagar” sempre!

...Ultimamente tenho sentido um aperto no coração cada vez que me lembro dos meus pais, avós, tios, primos… tem-me custado assumir cá dentro que a rotina de família, que tanto gosto e aprecio, está quebrada pela distância. Isso dói assim de repente. É um preço tão alto!

E cada dia me custa mais. Apercebo-me das circunstancias da situação e não a vejo como efémera.

As crianças crescem, os adultos envelhecem, e eu também, À distancia!

 

Sinto-me determinada com o meu projecto de vida, sei porque estou aqui e tenho aqui a minha pequena família, construída por mim e pelo J. Mas a “moínha" aparece e de repente parece que a vida passa e deixei algo tão precioso para trás.

 

Tem-me dado para isto, choro um pouco e depois agarro-me com "unhas e dentes" à vida. É assim, tenho que aceitar as circunstancias e ver sempre o lado mais leve e iluminado.

Eu tenho essa família que amo. Tenho essa sorte e esse orgulho. Mesmo estando tão longe.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 04:04

Os pontos de viragem...

por parasergrandeseinteiro, em 02.12.13

Aeroporto de Hong Kong, 28 de Setembro às 20:05 (ida para Banguecoque).

 

Faz hoje 5 meses que abracei este desafio: novo projecto de vida. Comecei tudo de novo.

Faz hoje 5 meses que vi os olhos tristes dos meus pais por me verem partir. Grandes senhores que são, levaram-me à fronteira da mudança após uma cirurgia major, "aleijada" nas minhas crenças e esperanças.

 

Apostei alto! Deixei tudo para trás. Um TUDO que se calhar era um NADA, mas nos moldes da sociedade vigente era o adequado e era pelo menos o BASTANTE.

 

Mas eu precisei de "mandar tudo ao ar"! 

Faz hoje 5 meses que me sentei no lugar errado do avião, de cara chorosa, onde dormia e aliviava a dor de partir com algumas lágrimas que se deixavam vencer. Aí, conheci, tive o prazer de conhecer, uma pessoa que assume um lugar de destaque na minha realidade. Sinto-me abençoada por isso. Hoje, esse alguém, podia dar-me aquele abraço, com aquele aconchego, que me saberia a conforto.

 

Eu adoro abraços. Um abraço é abrir o peito, é sentir sem medo e é dar boa energia forrada de carinho.

De todas as possibilidades de contacto físico, linguagem gestual dos nossos afectos não há nenhuma mais completa do que um abraço sentido.

 

Faz hoje 5 meses que depositei todas as energias numa estratégia delineada para uma nova vida, diferente de tudo o que ja tinha vivido.

Na altura pareceu-me uma escadaria enorme, infinita que se perdia bem lá no fundo. Numa nuvem pouco definida. Suscitava uma sensação de mistério e incerteza em relação ao depois.

 

Hoje, 5 meses depois, entrei nessa nuvem, e é difícil perceber o caminho. Se é direito, inclinado, tortuoso... e porque não posso apenas "deixar ir" ao invés de o perceber à priori? Que mania que nós temos de querer controlar o futuro com o presente mesmo ali à mão!

Isto requer trabalho! Nunca é confortável não saber. Talvez o futuro não vá ser como eu achei que queria... Mas... que bom!!! de repente há hipótese de ser surpreendida. Se não for melhor também não terá que ser "mau", pode ser só e apenas diferente.

 

Escolher as minhas guerras e o que me atormenta é uma arte. Não se perde a esperança. Pelo contrario aumenta-se.

O prazer do dia-a-dia não está no que temos mas na forma como o vivemos. E só uma questão de atitude.

Não é fácil nem simples, mas é assim. 

 

Se voltava atrás...? Certamente que não!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:44

Boas recordações

por parasergrandeseinteiro, em 29.11.13

13 de Outubro 2013, 14:12 Sabang, Puerto Princesa


O mar apresenta-se irresistivelmente azul, musical e ritmado. Embala-me.

A sombra faz-se de arvores robustas e verdes sobre uma cama fofa de areia dourada. E cheira bem!

O azul do mar é obsceno, ate dé olhos fechados o vejo. 

Sinto a tranquilidade, penso na vida docemente, ou então não penso em nada. Só ouço.

Pode parar tudo. Este momento é uma bênção!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:27

E o amor...

por parasergrandeseinteiro, em 21.11.13

O amor que se pratica no (meu) dia-a-dia, é assim, para entrar a “pés juntos”, egoísta.

 

O amor incondicional sente-se por filhos, por pais… e (aqui) não me atrevo muito porque ainda não tenho a desejada experiencia de ser mãe. Contudo, no (meu) dia-a-dia o amor que se sente está condicionado por um dar e receber e aqui cresce-se e amadurece-se e tornamo-nos em melhores amantes |até de nós mesmos|.

 

O percurso talhado faz-nos melhores, se nós deixarmos e abrirmos o coração. Uma vida inteira talvez não chegue para a perfeição, mas o melhor está na “subida da encosta”.

Para mim, o meu amor é assim algo comparável a uma fé. É um sentido que dou à minha vida.

Se não nos tratam de forma adequada dói, se não nos superam as expetativas já não é o mesmo… lá está, é egoísta! É difícil viver sem ”ele” mas ”ele” é a causa das minhas alegrias, das minhas desilusões e das tristezas. E aqui cabe muito, os amigos pertencem a esse espaço: eu amo alguns amigos, poucos mas amo!

 

Descubro em mim que quando vivo sem amor vivo isenta de autenticidade, falta-me aquela chama aqui dentro. Adoro dar e receber ou receber e dar… um não implica o outro (ou implica!).

 

Dos muitos trambolhões que dou, é imperativo dizer que a vida tem sabido pôr-me à prova e que cada passo à frente é um desafio mais ousado. Como se fosse evoluindo, é exatamente assim que o sinto. Considero-me uma Mulher de sorte por poder crescer e sentir que o amor que procuro (e encontro) e sinto é cada vez mais completo, grandioso, honesto e mais importante que tudo… consciente.

 

“Que bom amar-te pelo respeito que suscitas em mim, pela admiração que cresce por seres tu, pela amizade que existe em nós e porque me fazes sorrir”. E sim, concordo plenamente: que assim seja, eterno, enquanto dure. Depois se a vida assim o ditar, que venha a próxima fase. Mas sempre de peito aberto.

 

“Boa noite meu amor”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:09

A loucura que por aqui andou!

por parasergrandeseinteiro, em 20.11.13

Sexta feira, dia 15 de Novembro 20:00... a nossa Amália e eu recebemos o meu amigo C. de copo de vinho branco do Douro na mão e muitos abraços saudosos se deram naquela receção tão Portuguesa. Só faltou o caldo verde. Mea culpa (mas não tive tempo).


"(...)uma promessa de beijos

dois braços à minha espera...
É uma casa portuguesa, com certeza!
É, com certeza, uma casa portuguesa!"

Posso dizer que o entusiasmo era tanto que se bebeu uma garrafa assim 'rápido'? e seguiu-se para o jantar.

 

Mudou-se o ambiente para o México, não nos entregamos aos mojitos mas sim as coronitas...

E lá foi!!! Com muita alegria e boa disposição a bailar, a petiscar e a cantar. Sempre "empurrados" com brindes atrás de brindes!

COYOTE bar, HK

 

O presente de aniversário do C. foi um "corte de cabelo" na cadeira do barbeiro. BEBE!!!!

 

Cadeira de shots. COYOTE bar, HK

 

Estreei-me no 2o bar mais alto do Mundo: OZONE no ICC em HK. Ainda não tinha ido e foi uma boa oportunidade.

A noite foi... muito animada!

 

 

ICC, HKK

 

 

Eu, C., F. e M.

(esta fotografia insistiu em ficar deitada, não me apeteceu aborrecer-me mais depois de tentar 10xs para a por direita - Ficámos e estávamos tortos LOL)

 

Acabámos por regressar a casa com um cansaço extremo e com um nível alcoolémico considerável.

No dia seguinte acordamos doentes e ... a jurar que nunca mais bebíamos. A idade já não perdoa! Mas nada nos impediu de ir bater perna por HK. Mesmo estando num estado miserável. Eu ainda hoje estou doente!

MongKok (considerado dos sítios mais densamente populados do mundo) e central foram os sítios escolhidos para passar o dia depois de uma noite tão sui generis.

 

Stanley, HK

 

No domingo deu para fazer uma passeio pela parte mais costeira da ilha com praias.

Stanley proporcionou-nos uma almoço de esplanada muito agradável num edifício colonial com uma brisa quente e uma boa conversa.

 

Matar saudades, lembrar tantas coisas vividas, rizadas e conversas sérias...

É tão bom receber os nossos e sentir que por mais que o tempo passe as coisas não mudam. 

 

O Colchão extra já cumpriu a serventia destinada. Não se prevêem mais visitas até ao final do ano por isso vou vende-lo assim que for possível.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:08

Cucu!

por parasergrandeseinteiro, em 11.10.13

Há um tempo que não alimento este meu cantinho.

Ideias não me faltam, vontade também não e confesso que tenho pena de deixar o tempo passar e não "depositar" aqui algumas experiências, vivências e estados de espírito que gostaria de registar.

Vou tentar “apanhar este comboio”!

 

Vários fatores têm contribuído para esta ausência: não só a falta de tempo mas tenho tido outras prioridades e vou deixando passar.

Como não o faço por obrigação vou-me “perdoando”.

Boa notícia: quero contrariar esta tendência!

 

Hoje por exemplo pus uma carta no correio para os meus avós. Sabendo que não é tão fácil para eles acederem à Internet, receber uma carta escrita à mão por mim com fotos, de varias de momentos que quero partilhar com eles, vai com certeza fazê-los sentir um pouco mais perto.

Privar-me deste “restante” tempo deles faz-me pensar como a vida é mesmo definida por escolhas e algumas mais difíceis de aceitar!

 

Só de pensar que provavelmente vão ler as minhas cartas dias seguidos repetidamente, sempre à procura de um pormenor que não apanharam no dia anterior, da vontade de lhes escrever todas as semanas! :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 03:02

Isto é assim e já não muda!

por parasergrandeseinteiro, em 05.09.13

Utilizo muito esta frase para descrever a minha relação com alguns amigos. é sem duvida das maiores riquezas que tenho.

Relações de amizade bem construídas, robustas, resistentes a distancia ou à menor frequência de convivência. Nada se questiona… é obvio. Só se sente!

Hoje acordei com uma boa notícia. Uma amiga muito especial para mim, viu reconhecida a sua destemida crença na mudança. Foi atrás de um sonho.

Esta é uma admiração que vem de longe, ainda dos tempos em que éramos apenas meninas perdidas e vitimas da nossa extrema emotividade perante a vida. Partilhamos, ou às vezes "trabalhamo-nos" mutuamente e posso dizer que temos um optimismo, uma forma de encarar a vida e um sentido de humor (que adoro) muito característicos! As dúvidas, as conquistas, o espírito de partilha e a espontaneidade são o melhor que existe entre nos e fazem a nossa amizade tão cheia da boa energia tem.

Hoje li a sua mensagem com a naturalidade de quem já esperava uma evolução destas, a notícia do seu grande salto de fé. Sorri, senti-me feliz como se tivesse sido comigo, e renovei a certeza inabalável que tenho nesta filosofia de vida: todos podemos ser capazes de correr atrás dos nossos sonhos e de os realizar. Basta ter alguma coragem e acreditar em nos. Dói sempre mas pode-se chegar lá.

Confiança, resiliência,determinação, brio, paixão e amor que se depositam no dia-a-dia têm este poder.

E desta conjugação perfeita só podem nascer coisas boas, projectos felizes. como este, da minha querida homónima.

Obrigada! Adoro ser tua amiga!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:50

Tenho andado desaparecida…

por parasergrandeseinteiro, em 15.07.13

 

Eu não alimento o meu blog como uma obrigação, nem o farei sob pena de perder o prazer que tenho em fazê-lo. Escrevo para mim e tenho muito gosto em partilhar com quem gosto e tem gosto em me seguir.

 

Andei em “festa cigana” desde o final do meu martírio. Deu direito a dormir pouco, trocar horários e fazer alguns "saudáveis(????)" abusos.

 

Mas sabe tão bem acordar e sentir que o meu tempo livre, é mesmo livre…. Poderei fazer o que quiser! (mesmo com dor de cabeça LOL)

 

Por ora, tenho mil interesses e curiosidades para satisfazer. Sinto que cheguei a Hong Kong há 5 dias atrás.

 

Um beijo e um grande abraço a todos vocês que se fazem sentir ao meu lado todo este tempo!!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:29

Que fique em ata!

por parasergrandeseinteiro, em 20.06.13

Para as minhas queridas mãe e avó que vão gostar de saber, que tenho umas calcas cor-de-laranja; e não me visto sempre de cores escuras!!!

Cada vez que visto algo preto (quase todos os dias!) lembro-me da vossa manifestada opinião!

Qualquer dia perco a cabeça e compro um casaco amarelo limão! :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:12

A pedido da minha querida prima M (a mais velha ;))

por parasergrandeseinteiro, em 13.05.13

A minha prima M está a fazer um trabalho sobre a emigração em Portugal, estabelecendo um paralelismo de motivações entre os anos 50/ 60 e os dias de hoje.

Pediu-me o meu testemunho para utilizar como um anexo.

Tive todo o gosto em contribuir e partilho-o agora aqui:

 

Construir um ‘América’, ou será uma Ásia’?

Cresci a ouvir, que tempos houve no passado, em que muita gente, inclusive o meu querido avô Correia, teve que prescindir da sua família e zona de conforto para se lançar além fronteiras. Era a única forma de gerar um orçamento familiar capaz de fazer vingar os filhos. E assim foi.

O meu avô saiu de Portugal, provavelmente numa carripana com um grupo de gente nas mesmas condições, atravessou grande parte de Espanha a pé, à boleia… será difícil imaginar! E chegou a Paris.

Na altura não havia skypes, facetimes, telemóveis, emails… a carta que demorava semanas a chegar era a única forma de aconchegar um coração ferido pela saudade.

As 3 filhas que teve são hoje mulheres “bem criadas” mas à custa de um pai ausente.

 

Terminei o meu curso, comecei a trabalhar no dia a seguir ao meu estágio… Passei de uma empresa para outra e outra, tirei um mestrado e agora estou a terminar uma pós-graducao numa prestigiada universidade no Reino Unido de onde saem primeiros ministros e presidentes.

Não me posso queixar, ganhei a minha independência na altura que tive necessidade e também possibilidade. Fui crescendo profissionalmente e ganhando responsabilidades, viajei bastante.

Então porque sair do meu pais? Então porque não ter os que mais amo no meu dia a dia…?

 

No dia 26 de Junho de 2013 faz sete anos que terminei o meu curso e que estou a trabalhar. No dia 26 de Junho de 2013 faz sete anos que deixei de receber mesada e passei a ter uma conta com mais de 3 dígitos (pelo menos no dia em que me pagavam) e há sete anos que gosto de me desafiar, que acredito que quando fazemos algo bem terá repercussões… não necessariamente pessoais, mas no resultado de um projeto, na vida de um doente, no futuro de algo…

Sou uma mulher da ciência, acredito na lógica e no raciocínio… e nos últimos anos, infelizmente, deixei de perceber muita coisa no meu país.

Saí do meu pais, porque precisei de sair de um “barco que se está a afundar”. Porque vi muita gente muito próxima de mim a perder o emprego, a não ter possibilidades… ‘Abandonei’ o barco, porque sou adepta da premissa que a mudança não é reativa mas sim proativa. Vim buscar ajuda talvez… e tenciono voltar.

 

Nunca tive nada de ‘mão beijada’. A sorte construo-a todos os dias, e pago um preço alto… as saudades, a solidão, a incerteza do futuro, a dúvida do que está certo ou errado… Mas não olho para trás, vim buscar motivação, vim viver e respirar coisas novas, vim aprender com pessoas diferentes, vim abraçar um projeto profissional melhor, vim ganhar dinheiro… Vim buscar o que o meu pais deixou de me poder dar, a esperança e possibilidade de viver com qualidade.

Nos últimos tempos, leia-se 4 anos, trabalhei bem mais que 8 horas por dia, hipotequei os meus serões e fins de semana, e  não tinha dinheiro para gozar de momentos de lazer… nem para poupar!

Vim por mim, vim pelos Meus e pelos que hão de vir.

 

Avô Correia, todos nos só somos o que somos hoje porque tu és um homem que não olhou para trás e foste buscar a tua sorte. És uma inspiração para mim.

 

Cada um tem o seu fado, o meu será sempre Portugues… mesmo do outro lado do mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:57

Para mim poderão ser todos os dias,

por parasergrandeseinteiro, em 05.05.13

Para mim poderão ser todos os dias, o dia da Mãe! Mas hoje quero dedicá-lo inteiramente e somente a ti.

Obrigada pelo teu amor, pelo teu carinho em todas as alturas, pelos teus beijinhos, pelo teu abraço, pelo teu incondicional apoio… Que sorte…. Eu tenho por te ter como mãe.

Amo-te sempre e para sempre minha Mimi

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 05:05

Dizer adeus, mesmo que seja ”Até já”

por parasergrandeseinteiro, em 27.04.13

São Momentos de lucidez, onde se torna claro o que realmente importa.

 

Não me quero esquecer das tuas lágrimas. Lágrimas são lágrimas, para mim fáceis de mais muitas vezes… Mas de alguma forma, foi bom ver -te chorar. Tu precisavas e talvez eu também precisasse delas, das tuas.

 

Pai, eu amo-te, eu admiro-te. Não pelo óbvio, mas porque há algo mágico entre nós. Às vezes tenso e explosivo, só sei que é assim, não sei explicar… e por ora só quero guardar aqui no peito o homem que és.

És frágil, refilão e doce, pouco tolerante mas bom, cheio de principios, com uma cabeça e força invejavel.

Vais aqui comigo e esteja onde estiveres sera sempre em ti que eu penso quando tiver que me encontrar.

Não me vou esquecer, e não me quero esquecer de te perceber, ter paciência e nunca vou desistir de ti. Amo-te e estou agarrada a ti para sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:43

E la foi o meu mano

por parasergrandeseinteiro, em 21.04.13

Muita Sorte, Saúde e Sucesso!

Tenho muito orgulho em ti!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:20

Um lufa lufa.... emocional q.b.

por parasergrandeseinteiro, em 15.04.13

Fez-se o exame (I hope so) ainda não recebi a nota!

Recuperei energias e continuo a melhorar todos os dias.

Comecei a trabalhar.

Correios, finanças, procurações.... e afins.

O meu irmão caçula vai também para far far away, e ainda antes de mim. Felecíssima que estou por ele, mas admito que me custa.

 

E nos entretantos:

 

Jantar com as minhas meninas ATS, RFL e IS, num spot bem charmoso e brindadas por um vista previligiada da nossa maravilhosa Lisboa:

 

 

 

Um copo de vinho, com o meu grande amigo JT... daqueles do coração. Uma vista inspiradora, música ao vivo, gargalhadas estridentes, confissões, desabafos pela tarde e noite fora:

 

 

Uma jantarada de amigos, JT, TF e NV super divertida:

 

 

Uma "daquelas" sangrias em São Pedro, num dia de Primavera a acabar em grande estilo com um por de sol * um amigão bem divertido...

 

 

Café concerto do meu afilhado que canta, toca guitarra e encanta:

 

Almoço com a minha familia que me enche o peito de tudo o que é bom....

  

Qualquer mudança envolve ganhos e mais-valias, mas perde-se sempre algo... e por ora, está-me a parecer que é muito! e por isso sei que vai doer a sério!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56

Feliz Páscoa

por parasergrandeseinteiro, em 31.03.13

Uma Páscoa cheia de chuva, nevoeiro…

compensada porum bom cabrito, uma generosa posta mirandesa, 30Kg de amêndoas, mousse de chocolate… (o “alambanço” do costume!).

 Uma tarde cheia de família,

(peço desculpa por vos pintar a cara de cinzento!)

brincadeiras de primos…

uma tarde muito feliz!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:17

Cá em casa, somos todos aniversariantes a dia 25.

Este mês pertence ao meu querido pai.

Almoço muito agradável com os quatro cá em casa. Depois do meu exame iremos passear :)

 

  

A salientar:

- Pai e mãe Capicuas, 65 56 anos respetivamente.

- Não colocar velas num bolo ainda quente. caso sontrário poderá acontecer algo do género:

 

Uma das coisas que mais aprecio na minha familia, é o ambiente alegre a que estamos predispostos nestes momentos, e noutros também.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:57

Não me quero esquecer que...

por parasergrandeseinteiro, em 20.03.13

a minha linda avó Mariana, de cabelo branco imaculado, olhos azul sábio e de uma aura penetrante me disse ontem:

"Filha, o que é teu ainda não morreu!"

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07


Mais sobre mim

foto do autor





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Março 2016

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031






eXTReMe Tracker