Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Cerimónia do exorcismo. Dança do Barong em Padang Bai, Bali

por parasergrandeseinteiro, em 01.02.14

   

 

 

 

 

 



Uma cerimónia religiosa hindu que se tornou numa encenada (?) guerra espirítual.

Um cerimónia local com um propósito espiritual muito profundo.

Assistimos a um acontecimento crucial, acredito que fora das eventuais performances turísticas, o exorcismo.

A história de Barong , segundo a mitologia de Bali.
Rapidamente...
Dança Barong retrata uma batalha épica entre o bem e o mal, um conceito semelhante na maioria das religiões do mundo.

 

Barong, muitas vezes representado como um leão, representa um final bom.

 

 


Em contraste, Rangda é uma bruxa má, ou a rainha do demónio:

 



O Barong aparece em palco, acompanhado por macacos , que são historicamente associados como ajudantes do Barong.

(Razão pela qual há tantos macacos nos templos de Bali.)

 

Os macacos dançavam felizes ao redor de Barong antes de Randga aparecer. Randga circundava Barong na tentativa de lhe causar danos.

Aqui começa a batalha entre o bem e o mal.

Não foi uma performance para os turistas. Foi uma cerimónia religiosa para equilibrar o nível de bem e mal na aldeia de Padang Bai.

O público (locais) começaram a exaltar-se, e nós distanciámo-nos da multidão.
Dizem, que é o ponto em que as pessoas começam a possuir-se pelo espírito maligno de Rangda.
Começaram a espernear e a gritar descontroladamente. Seis ou sete homens próximos das "vitimas" reagiram rapidamente e prenderam os seus braços e pernas no chão, enquanto lutavam com o que parecia ser uma histeria pura.

 

As mulheres locais e as crianças apreciavam a cena, aparentemente calmos e resignados aos acontecimentos.

Devo dizer que é “forte” assistir a estas cenas.

 

Ao longo da cerimónia, e já com noite cerrada, várias pessoas entraram nesse estado de transe. Enquanto isso os seus conterrâneos juntavam feixes de madeiras e incendiavam... e de novo uma nova multidão formou-se e a histeria, gritos e pessoas em transe aumentaram.


 

 

 
Era hora de o exorcismo!
O espírito de Randga ainda estava muito presente nos homens possuídos, e a loucura parecia aumentar…
Os aldeões vestidos a rigor, com as cabeças envoltas em panos brancos e vestidos de sarongs começaram a forçar arak, uma bebida alcoólica local, nas bocas dos homens desesperados.
De repente os homens possuidos ficaram obcecados com as chamas próximas e atiraram-nos ao fogo e tentaram apagá-lo no seus próprios corpo e cara, enquanto os seus companheiros evitavam a todo o custo que houvesse danos maiores.
Uma cena impressionante.  
O fogo representa os espíritos malignos. E assim um a um o espírito de Rangda foi exorcizado , e o equilíbrio entre o bem e o mal foi restaurado.
Os homens exorcizados desabaram em silêncio no chão, exaustos da guerra espiritual que tinha ocorrido dentro deles.

Nunca tinha visto uma dança Barong, muito menos que incluísse uma cerimónia de exorcismo.

 

Foi um privilégio ter assistido a esta cerimónia. Primeiro porque não esperávamos, segundo porque uma performance local e não turística e terceiro porque  foi uma experiencia nova, intensa que me trouxe ensinamentos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:01



Mais sobre mim

foto do autor





Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Calendário

Fevereiro 2014

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
232425262728






eXTReMe Tracker